Olá gente, assim como fiz com Buenos Aires – Primeira vez em Buenos Aires | Planejamento / A chegada, inicio nesse post uma série de dicas sobre Paris.

Aqui você encontrará todo o planejamento de viagem necessário para ser realizado antes da viagem à Cidade luz iniciar até o momento que chegar ao seu destino.

Ahhh, Paris….

Paris é com certeza o sonho de muitos viajantes (era o meu também!). Mas, muitos pensam que concretizar essa viagem é inviável, seja pelo valor que deverá ser despendido, pelas horas de voo, pelo idioma, pela moeda, enfim, cada um tem, ou já teve, algum receio antes de começar a tirar o sonho da viagem à Paris do papel.

Se você está justamente nesse momento de planejamento, pesquisa e muita dúvida, esse post é para você!

Vamos às dicas?

Vista do Rio Sena e Torre Eiffel ao fundo
Paris, Torre Eiffel

Documento

Para dar entrada no país, que faz parte da União Europeia, o passaporte é obrigatório.

Então, se você ainda não tem o seu, corre no site da Polícia Federal para tirar o seu.

Agora, se você já o seu tem o seu passaporte, fique esperto que ele tem que ter uma validade mínima de 3 meses, considerando o dia de retorno ao Brasil.


IMPORTANTE: Se você vai fazer uma escala ou conexão em algum país fora da União Europeia, é importante se informar no site da embaixada do país, qual a validade mínima requerida para o país.


Exemplo prático que aconteceu comigo em 2018, ao planejar minha viagem à Paris: Meu passaporte estava com validade de 5 meses e meio, considerando o dia de retorno ao Brasil, MAS… tinha uma conexão no Marrocos, país que exige um passaporte com validade mínima de 6 meses! Ou seja, tive que tirar um novo passaporte, APENAS, por conta dessa conexão.

Eu poderia arriscar e ir com o passaporte antigo, mas correria o risco de, se acontecesse alguma intercorrência no Marrocos que exigisse a imigração no país, ter que ficar na área internacional, sem conseguir imigrar… #OTerminalFeellings.

Preferi não correr esse risco e viajar tranquila, tirei um novo passaporte!

Visto

Quanto ao visto, todos os países que estão na União Europeia não exigem visto para turistas brasileiros, mas existem algumas documentações que o agente de imigração pode solicitar como o Seguro Viagem, que vou detalhar melhor abaixo. Fora isso, zero dor de cabeça.

Inclusive, você pode dar a sorte que eu dei e ser atendida por um agente de imigração que fala português. Sensacional, né?

Vacinas

A França, assim como demais países da Europa, não tem nenhum tipo de exigência de vacina obrigatória para entrar no país.

Mas, é aconselhável que você vá imunizado contra Sarampo, pois há muitos países que passaram por surtos recentes da doença e a França é um deles.

Seguro Viagem

O seguro viagem é um item obrigatório para que consiga adentrar na maioria dos países da Europa e a França, por fazer parte do Tratado de Schengen é um deles!

Para que consiga entrar sem problema no país, o seu seguro viagem internacional deve ter uma cobertura mínima 30 mil euros.

Eu SEMPRE uso seguro viagem para viagem internacional, mesmo quando vou para países onde ele não é obrigatório, pois assim viajo tranquila e protegida.

Como sempre falo, o seguro viagem além de proteger contra intercorrência médica e/ou odontológica, de acordo com a apólice contratada, também deixa o viajante protegido em caso de cancelamento de voo e, até, extravio de bagagem.

Ou seja, independente da obrigatoriedade no país, coloque como item indispensável na sua lista de itens da viagem.

Moeda

A França faz parte da União europeia e está na zona do euro, sendo, portanto, essa a sua moeda oficial.

Atualmente a cotação do euro gira em torno de 4,58 (valor final com iof – do dia que estou escrevendo o post – 04/04/19), então, a palavra de ordem para se programar para adquirir toda a moeda necessária para realizar sua viagem é planejamento. Uma dica é comprar sua moeda aos poucos, criando, assim, uma cotação média e se protegendo de eventuais variações bruscas.

Sugiro que elabore um roteiro, com as atrações que vai conhecer na sua viagem, pesquise o preço médio das refeições no destino e ao final faça uma estimativa de gastos, com uma margem à maior, assim terá uma base para comprar a quantidade de euro mais ajustada à sua necessidade.

O voo

O voo direto do Brasil para França – mais especificamente Paris– tem duração de 11 horas e várias companhias aéreas fazem o trajeto Brasil-Paris, porém apenas a Air France, Latam e Azul fazem o trajeto sem paradas em outros países, a famosa conexão.

Eu, quando fui para Paris, fui pela Royal Air Maroc, que tem o seu hub obviamente no Marrocos, na cidade de Casablanca.

Lá fizemos uma conexão de uma hora e 1 hora e 5 minutos, mas como o voo atrasou um pouco para sair do Brasil, diminuiu ainda mais o nosso tempo na conexão no Marrocos (que já era curto). E, algo que descobri somente lá: o aeroporto de Marrocos tem um controle SUPER RÍGIDO, tanto de passaporte, como de vistoria pessoal. Assim, mesmo sem imigrar no país, tive que passar pelo RX e diversos controle de passaporte, ou seja, correria no aeroporto para não perder a conexão.

Então, fique esperto: se o seu voo fará conexão em algum outro país, antes do destino final, verifique qual o tempo dessa conexão e, se for curta, já estude previamente o layout do aeroporto para não perder tempo desnecessário tentando se localizar dentro do aeroporto.

Importante lembrar que geralmente o voo com conexão, antes do destino final, costuma ser mais barato que o voo direto, mas não é regra. A regra aqui é pesquisar, pesquisar e pesquisar mais um pouco!

Aliás, se você quer saber dicas para comprar passagem aérea em promoção, leia esse artigo:

7 DICAS DE COMO COMPRAR PASSAGEM AÉREA EM PROMOÇÃO

Outra coisa, que muitos não sabem, quando a companhia aérea tem um hub em determinado país, como é o caso da AIR MAROC, como citei acima, você GERALMENTE pode fazer um STOP OVER no país, sem custo adicional. Para quem não sabe o Stop over nada mais é que desembarcar no país da conexão e poder ficar nele 1 ou mais dias (a quantidade máxima de dias depende da companhia aérea contratada) no país sem pagar nada a mais no valor da passagem do que o preço original.

Em breve, vou fazer um post detalhado sobre esse tema e vou deixarei o link aqui para vocês.

Agora, voltando ao voo, que são no mínimo 11 horas, é importante seguir algumas dicas para que você sinta o menos possível os sinais do jet lag e consiga aproveitar sua viagem já no momento que chegar no país.

Para isso acontecer, é importante que você comece a realizar o máximo de atividades corriqueiras no horário do seu destino (ou o mais próximo possível dele), alguns dias antes de realizar a viagem.

Como a França tem uma diferença 5 horas a mais de fuso horário em relação ao Brasil (horário de Brasília) – 4 horas em horário de verão – é interessante que alguns dias antes de embarcar, você comece a incorporar o horário do destino nas suas atividades diárias como realizar refeições, horário de dormir e acordar, entre outras.

Parece banal, mas vale lembrar, escolha roupas confortáveis e que não travem a circulação, há muitos relatos de trombose durante o voo que, muitas vezes são desencadeadas, pelo fato de ficar muitas horas sentado aliado ao uso de roupas apertadas. Para os mais cuidadosos, ou com propensão a travar a circulação, vale utilizar meias de compreensão, para evitar inchaços e desconfortos/ cansaço nas pernas.

Consulte sempre o seu médico!

Quanto aos sapatos, escolha os mais confortáveis e fáceis de tirar e recolocar, pois isso pode acontecer várias vezes nos aeroportos pelos quais venha a passar.

Não esqueça de levar consigo na cabine um bom agasalho e um par de meias, para se proteger do frio intenso da aeronave.

Assim que entrar no avião, já acerte o seu relógio considerando o horário do destino e evite bebidas alcóolicas durante o voo, pois o ar da cabine já é muito seco e pode desidratar ainda mais o organismo. Beba muita água.

Abuse dos entretenimentos, como filmes e séries disponibilizados pela própria companhia aérea, mas não esqueça de baixar os seus próprios itens de entretenimento no seu Smartphone. Isso ajuda demais a não sentir o “peso” da viagem.

Tente caminhar de 2 em 2 horas pelo avião para manter a circulação e evitar inchaços e dores nas pernas

E, claro, durma o máximo que conseguir durante o voo, pois assim estará mais disposto quando chegar no país. Levando esse fato em consideração, eu, sempre que possível, gosto da opção de voo noturno, além de geralmente o valor ser mais amigável.

 

A Chegada

Paris conta com 3 aeroportos: Charles de Gaulle (CDG), Orly e Aeroporto de Beauvais, porém vou focar esse artigo apenas nos 2 primeiros, pois o aeroporto de Beauvais é utilizado pelas companhias aéreas de baixo custo da Europa e aqui as dicas são para pessoas saindo do Brasil para Paris, então, seu voo não chegará por esse aeroporto.

Aeroporto Charles de Gaulle (CDG)

Paris, vista do aeroporto de Charles de Gaulle - Fonte Pinterest
Aeroporto de Charles de Gaulle

O aeroporto Charles de Gaulle (CDG) fica na cidade de Roissy, há aproximadamente 30 quilômetros a nordeste de Paris e é um aeroporto gigantesco, porém com cara de aeroporto pequeno. O achei muito bem sinalizado, com placas em francês (óbvio..rs) e inglês. Então, é muito tranquilo para se localizar.

Como o aeroporto recebe MUITOOOOS voos, de várias partes do mundo, se quiser ser atendido o mais rápido possível na imigração, tente sair o mais breve da cabine e nada de parada no banheiro entre o trajeto até a imigração. Nesse tipo de aeroporto, em questões de minutos, as filas da imigração se multiplicam.

O meu voo chegou por esse aeroporto e a minha experiência com o agente de imigração, fui em outubro de 2018, foi a mais tranquila possível, não teve uma pergunta sequer, somente carimbou o passaporte e me desejou uma boa viagem em português.

Oba, passe livre para Paris!!

Depois disso, basta esperar na esteira para pegar suas malas e decidir qual meio de transporte vai usar para chegar no seu hotel.

Saindo desse aeroporto existem 3 opções:

  • Taxi: Preço tabelado para o centro de Paris e arredores, quando fui o valor era 50 euros. O valor é pesado, eu sei, mas acreditem, se estiver a partir de duas pessoas esse valor compensa muito, pois não terá que andar arrastando sua mala pelas diversas escadas do metrô ou pelas ruas de Paris.
  • RER: É a rede expressa de trens que interliga Paris às cidades metropolitanas – o valor do bilhete (em outubro de 2018) é 10,30 euros e dá acesso à integração gratuita ao metrô.
  • Ônibus: Existem 3 opções de ônibus: 1: RoissyBus – Ônibus básico, sem bagageiro, é preciso deixar a mala no corredor. O bilhete custa 12 euros/ 2: Le Bus Direct – Esse é a opção mais confortável dos ônibus, possui bagageiro, wifi, poltronas reclináveis e USB para recarregar eletrônico. Custa 18 euros e é possível comprar o bilhete antecipado em Le Bus Direct / 3: RATP – Trata-se de ônibus de transporte público que sai do Centro de Paris para o CDG. O RATP possui 2 linhas (350 e 351), a 350 é a mais indicada para os viajantes pois é sem paradas, já a 351 possui paradas pelos caminhos. O preço custa 6 euros.

Na minha opinião, o ônibus é uma boa alternativa para chegar ao centro de Paris, você já desembarca no nível da rua, pois acredite: o metrô de paris tem uma profundidade absurda e subir até o nível da rua com uma ou mais malas não é tarefa fácil.

Aeroporto de Orly

Aeroporto de Orly - Fonte: Pinterest
Aeroporto de Orly

Esse aeroporto fica mais próximo do centro de Paris, aproximadamente 20 km e as opções para chegar ao centro de Paris são basicamente as mesmas:

  • Taxi: É uma ótima opção, pois o valor varia de 30 a 35 euros, dependendo do lado do rio que você estará hospedado.
  • RER: Para acessar o trem – RER – é preciso pegar um antes o Orlyval, um trem que liga os terminais de Orly aos trens do RER B na cidade Antony. O trajeto total até o centro de Paris é 12,50 euros.
  • Ônibus: Existem 2 opções: 1: Orlybus – 8,30 euros e Le bus direct (Air France) – 12 euros.

Chip

Recomendo que saindo do aeroporto você já compre o seu chip de internet para conseguir se locomover sem problema e sem a necessidade da busca de wi-fi.

Na minha viagem utilizei o chip da empresa ORANGE , com o plano que dava acesso a 10 gigas de internet, 1000 SMS e 120 minutos de ligações locais, para 14 dias, pelo valor de 39,99 euros e é possível usá-lo em 27 países da Europa.

Comprei o meu no aeroporto de CDG, após pegar as malas, na primeira saída, tem um  quiosque da própria empresa, com um atendente muito simpático, porém com inglês precário. Mas ele possui um folder com explicações do plano em Português, basta pedir a ele.

Orange

Idioma

Aposto que você já ouviu que os franceses são mal educados com turistas, que eles não gostam de falar inglês, etc, etc, etc…estou certa?

Porém, amigos, a realidade é que os franceses, em sua maioria, NÃO sabem falar inglês. Então, a minha principal dica aqui é que você seja o mais autônomo possível em sua viagem, pesquisa muito antes da viagem iniciar para que saiba solucionar o máximo de situações que venham a surgir e, CLARO, tenha um chip de internet e, primeiro, pergunte ao Google.

Mas, lógico que a interação com os locais faz parte da diversão da viagem, mas tenha em mente essa realidade (Francês não fala inglês) pouco abordada nos temas de viagem.


Amigos, essas são as dicas essenciais para quem está fazendo o planejamento de viagem para viajar para Paris pela primeira vez.

Pirâmide
Paris, Museu do Louvre

Me conta, aqui nos comentários, o que você achou desse artigo e compartilha com os amigos que estão precisando dessas dicas.

Aproveita e me siga no Instagram: @viagensefeminices ,e demais redes sociais, pra acompanhar as dicas em primeira mão.

Um beijos e vem comigo!

 

Autor

Deixe seu comentário

Pin It